Colabore contra a Dengue

Dengue

Definição de caso suspeito:

Pessoas com febre com duração de 2 a 7 dias acompanhada de 2 ou mais das seguintes manifestações:
– náusea ou vômito
– exantema
– mialgia
– artralgia
– cefaleia ou dor retro-orbital
– petéquias ou prova do laço positiva
– leucopenia
e que vivam ou tenham viajado nos últimos 14 dias para área com transmissão de dengue ou presença de Aedes aegypti.
Também são considerados casos suspeitos crianças com quadro febril agudo com duração de 2 a 7 dias e sem foco de infecção aparente e que vivam ou tenham viajado nos últimos 14 dias para área com transmissão de dengue ou presença de Aedes aegypti.

AVALIAÇÃO DO SUSPEITO DE DENGUE

INVESTIGAR:

Data de início da febre e de outros sintomas Presença de sinais de alarme

Sangramento (gengivorragia, epistaxe, metrorragia, hematêmese, melena, prova do laço positiva)

Condições clínicas especiais (menores de 2 anos, gestantes, maiores de 65 anos) ou comorbidades (hipertensão arterial ou outras doenças cardiovasculares graves, diabetes mellitus, doença pulmonar obstrutiva crônica, doenças hematológicas crônicas, doença renal crônica, hepatopatias e doenças autoimunes): grupo especial.

Avaliação clínica:

  • Estado geral e nível de consciência, hidratação, perfusão, qualidade de pulso, temperatura, frequência cardíaca, frequência respiratória
  • Pressão arterial (PA) em 2 posições (deitada e sentada ou em pé): hipotensão, hipotensão postural ou estreitamento da PA são sinais precoces de gravidade
  • Peso

Avaliação epidemiológica:

Investigar casos semelhantes no domicílio, peridomicílio e local de trabalho

Pesquisar procedência ou história de viagens para área endêmica/epidêmica para dengue, chikungunya e Zika.

Anti-inamatórios não esteroidais e salicilatos são contra-indicados em qualquer fase da doença. Registrar as informações em prontuário e no cartão de  acompanhamento  da  dengue Noticar o caso!

AVALIAÇÃO DO SUSPEITO DE DENGUE PROVA DO LAÇO

Verificar  a  PA  e  calcular  a PAM.Insuflar  o  manguito  até  a PAM e manter por 3 minutos (crianças) e 5 minutos (adultos) ou até o aparecimento de petéquias (o que ocorrer primeiro)

 

 

 

 Desinsuflar o ar do manguito e desenhar um quadrado com 2,5 cm no local de maior concentração de petéquias

 

 

 

 

 Prova do laço positiva:

Crianças: ≥ 10 petéquias dentro do quadrado

Adultos: ≥ 20 petéquias dentro do quadrado

 

 

 

SINAIS DE CHOQUE

  • Pulso rápido e fraco
  • Estreitamento de pressão: diferença entre a PAS e a PAD ≤20 mmHg
  • Hipotensão arterial (PAS ≤90 mmHg ou PAM ≤70 mmHg)
  • Extremidade fria ou cianose
  • Tempo de enchimento capilar ≥2 segundos
  • Taquicardia ou bradicardia
  • Taquipneia

Na dengue, diferentemente do que ocorre em outras doenças que levam ao choque, antes de haver uma queda substancial na PAS poderá haver o estreitamento da PA.

O paciente permanece consciente, orientado e com PAS normal, o que pode induzir a erros de classificação, retardo no tratamento e consequentes danos sistêmicos graves.

Quando a hipotensão se instala, tem-se um choque prolongado, de difícil reversão e muitas vezes complicado com grandes hemorragias multifatoriais, que podem ocorrer mesmo que não haja plaquetopenia e distúrbios de coagulação.

PAS: pressão arterial sistólica PAD: pressão arterial diastólica PAM: pressão arterial média

Confira o Caderno Completo